DPVAT: 4,5 MILHÕES DE INDENIZADOS PAGAS EM 10 ANOS DE TRÂNSITO

De acordo com dados da Segurado Líder- administradora do seguro DPVAT (Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres), as indenizações às vítimas de acidentes de trânsito, em todo o país, chegaram a somar cerca de R$ 4,5 milhões. O valor informado corresponde a um período de 10 anos: de 2008 a 2017.

Os valores foram pagos para reembolsar despesas médicas e para indenizar pessoas com invalidez permanente. Ainda foram usados para a indenização de herdeiros de vítimas que morreram em acidentes de trânsito.

Segundo os dados levantados pela Seguradora Líder, do ano de 2008 ao ano de 2017, cerca de 500 mil indenizações foram pagas em decorrência de vítimas fatais de acidentes. E cerca de R$ 3 milhões foram destinados ao DPVAT para pessoas que apresentaram invalidez permanente, devido a acidentes de trânsito.

Resumindo, os dados referentes aos últimos 10 anos são:

  • Cerca de R$ 4,5 milhões usados para indenizar vítimas, em todo o país, de acidentes de trânsito.
  • 500 milhões de indenizações pelo DPVAT.
  • Cerca de 3 milhões de indenizações para vítimas que sofreram invalidez permanente.

Motocicletas: campeãs de acidentes e indenizações pelo DPVAT

Nos últimos 10 anos, ainda de acordo com a Segurador Líder, as motocicletas foram os veículos mais envolvidos em acidentes de trânsito. As indenizações pagas a vítimas de acidentes envolvendo motos representam cerca de 70% do total de indenizações.

Isso também representa que mais de R$ 3 milhões pagos pelo DPVAT foram feitos a pessoas que sofrerem acidente de trânsito com esse tipo de veículo envolvido. Ao todo, ocorreram mais de 198 mil indenizações por morte e cerca de R$ 2,4 milhões para casos de invalidez permanentes – todos envolvendo motocicletas.

Ainda de acordo com a Seguradora Líder, a quantidade de motos cresceu desde o ano de 2008. Calcula-se que de 13 milhões de motocicletas passaram para mais 25 unidades, até o ano de 2017.

O levantamento também aponta que a região Nordeste do país apresentou um dos maiores crescimentos de motocicletas: cerca de 165%. Nessa região, atualmente, as indenizações DPVAT representaram cerca de R$ 2,4 milhões, até o ano de 2017.

O resumo em relação às motocicletas e ao DPVAT, de 2008 a 2017 é que:

  • Cerca de 70% das indenizações foram concedidas a vítimas de acidentes envolvendo motocicletas.
  • Mais de R$ 3 milhões foram pagos a vítimas de acidentes de trânsito com motos.
  • Cerca de R$ 2,4 milhões foram usados para pagar o DPVTA para casos de vítimas com invalidez permanente, em decorrência de acidentes com motocicletas.
  • Em todo o país, a frota de motocicletas cresceu de cerca de 13 milhões para mais de 25 milhões.
  • A região Nordeste do país foi a que mais teve aumento na quantidade de motos: um crescimento de cerca de 165%.
  • Na região Nordeste, cerca de R$ 2,4 milhões de indenizações referentes ao DPVAT foram pagas a vítimas de acidentes que envolveram motocicletas.

Crescimento da frota de veículos no país nos últimos 10 anos

Já de acordo com dados do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), o país, atualmente, soma uma frota de mais de 94 milhões de veículos em circulação. Isso significa um aumento maior do que 75% em relação ao ano de 2008.

Ainda de acordo com o Denatran, as regiões Norte e Nordeste do país são as localidades onde mais cresceram a quantidade de veículos nos últimos 10 anos. As motocicletas representam o maior aumento dos veículos nessas regiões: cerca de 127% (Norte) e 126% (Nordeste).

Dados da OMS preocupantes para o Brasil

O levantamento da Seguradora Líder vai além. A empresa pesquisou dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). E os resultados são bem preocupantes para o Brasil.

De acordo com o ranking da OMS, o país está em 5º lugar entre os países com maiores números de acidentes de trânsito.

As indenizações pagas pelo DPVAT, em 2017, atingiram um aumento de mais de 40%, em comparação com o ano de 2008. Além disso, o índice de acidentes de trânsito envolvendo pedestres colocam o país em 2º lugar do ranking.

As indenizações do DPVTA representam mais de 26% para acidentes com vítimas fatais, no ano de 2017. No ano de 2008, esse percentual era de 22%.

Resumindo os dados fornecidos pela OMS, temos:

  • O Brasil ocupa o 5º lugar em número de acidentes de trânsito no mundo.
  • As indenizações para vítimas fatais crescerem mais de 40% em 2017, em comparação com o ano de 2008.
  • O Brasil fica em 2º lugar na lista da OMS de acidentes de trânsito que terminam em óbitos de pedestres.
  • As indenizações do DPVAT para vítimas fatais, em 2017, representam 26% do total. E, 2008, esse percentual era de 22%.

Indenizações DPVAT para vítimas do sexo masculino

Outra característica dos dados levantados é que a maior parte das indenizações pagas pelo DPVAT é feita a motoristas vítimas de acidentes de trânsito do sexo masculino. Os valores indenizados para os motoristas do sexo masculino contemplaram pessoas entre 18 a 34 anos.

Os índices totais para o sexo masculino, no entanto, reduziram. No ano de 2008, esse índice representava 53% das indenizações do DPVAT – já em 2017, as indenizações foram de 49% – o que equivale cerca de 186 mil pessoas do sexo masculino.

Boletim “Dez anos de Trânsito” e o seguro DPVAT

Vale ressaltar que o boletim estatístico Especial “Dez anos de Trânsito” marca as evoluções das operações relacionadas do seguro DPVAT. O levantamento ainda indica a situação da quantidade de automotores que circulam pelo país, entre os anos de 2008 e 2017.

A responsabilidade pelas informações são da Seguradora Líder.