O ano já começou e chegou a hora de pagar o seguro obrigatório do seu carro, mas você sabe como funciona todo o processo DPVAT?

O seguro para Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre existe desde 1974, com o objetivo de indenizar vítimas de acidentes de trânsito, tanto para motorista, quanto para passageiro e pedestre.

As indenizações incluem reembolso de despesas médicas hospitalares, em caso de invalidez permanente ou morte, cabendo aos beneficiários, neste último caso, serem indenizados.

Mas para isso é preciso entender o funcionamento de todo o processo DPVAT, para não sofrer as consequências, como ter o carro apreendido, por exemplo.

Saiba mais sobre o seguro DPVAT neste artigo!

O que é o seguro DPVAT?

O seguro DPVAT é sigla para Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre e tem caráter obrigatório, abrangendo todo o território brasileiro.

É um seguro pago anualmente junto do IPVA, geralmente a partir de janeiro e, em caso de isenção, será pago junto ao primeiro licenciamento.

Ao contrário do IPVA, o guia de pagamento do DPVAT não é enviado para a residência, e sim emitido no site do DETRAN. Há também a possibilidade do contribuinte ir direto a uma agência bancária conveniada com o número da placa do veículo e RENAVAM.

Como e quanto pagar o seguro?

Ao entrar no site da Seguradora Líder (administradora do processo DPVAT), é preciso clicar no Estado de sua residência no mapa e escolher entre Usados, 1º licenciamento ou ISENTOS de IPVA.

Ao clicar no Estado é mostrado em que local você deve pagar o seguro DPVAT, se é no DETRAN, agência bancária ou no site da administradora.

Este ano de 2019 haverá uma redução de mais de 70% a ser pago de processo DPVAT. Resultado de um acúmulo de recursos de reserva muito maiores que as necessidades de atuação do seguro, segundo a entidade.

Com isso, os valores atualizados para pagamento ficaram assim:

  • automóveis particulares, táxis e carros de aluguel – de R$ 41,40 para R$ 12;
  • ônibus, micro-ônibus e lotação com frete – de R$ 160,05 para R$ 33,61;
  • micro-ônibus com frete, mas com lotação até 10 passageiros, e ônibus, micro-ônibus e lotação SEM frete – de R$ 99,24 para R$ 20,84;
  • ciclomotores – de R$ 53,24 para R$ 15,43;
  • motocicletas e motonetas – de R$ 180,65 para R$ 80,11;
  • máquinas de terraplanagem, tratores de pneus com reboques acoplados, caminhões ou picapes, reboques e semirreboques – de R$ 43,33 para R$ 12,56.

Quem não pagar o seguro, não poderá receber o licenciamento, e sem esse documento o veículo não poderá circular na rua, sob risco de multas e apreensão do carro.

Além disso, em caso de acidente, se o motorista não pagou o DPVAT ele terá que arcar com todas as despesas médicas.

Como faz para dar entrada no processo DPVAT?

Primeiramente, você precisa ter os documentos para o tipo de cobertura (morte, invalidez ou reembolso de despesas médicas).

Os seguintes documentos necessários para dar entrada no processo DPVAT são:

Morte

  • Certidão de óbito;
  • BO (Boletim de Ocorrência) do acidente;
  • Documento que prova a qualidade de herdeiro/cônjuge.

Invalidez permanente

  • BO (Boletim de Ocorrência) do acidente;
  • Laudo do IML (Instituto Médico Legal) com todas as lesões descritas.

Reembolso de despesas médicas

  • BO (Boletim de Ocorrência) do acidente;
  • Recibo, cupom fiscal, qualquer comprovante dos gastos médicos devido ao acidente.

Tendo esses documentos em mão, basta se dirigir a um dos postos de atendimento ou pedir indenização diretamente em alguma agência dos Correios. Depois, preencha o pedido no local oficial para processo DPVAT e entregue a documentação.

Qual o valor da indenização?

O valor pago para indenizações do DPVAT é de R$ 13.500 (para morte e invalidez) e até R$ 2.700 (despesas médicas).

Aprendendo esse passo a passo do processo DPVAT você não só protege seu veículo de uma multa como também protege seu bolso de arcar com as despesas sozinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro − 3 =